Transmissão
Entendemos transmissão como a transferência de um agente etiológico animado de um reservatório ou fonte de infecção para um novo hospedeiro suscetível. A transmissão pode ocorrer de forma direta ou indireta.

1. Transmissão direta (contágio): transferência rápida do agente etiológico, sem a interferência de veículos. Ela pode ocorrer de duas formas distintas:

  • Transmissão direta imediata: transmissão direta em que há um contato físico entre o reservatório ou fonte de infecção e o novo hospedeiro suscetível.

  • Transmissão direta mediata: transmissão direta em que não há contato físico entre o reservatório ou fonte de infecção e o novo hospedeiro; a transmissão se faz por meio das secreções oronasais transformadas em partículas pelos movimentos do espirro e que, tendo mais de 100 micras de diâmetro, são dotadas da capacidade de conduzir agentes infecciosos existentes nas vias respiratórias. Essas partículas são denominadas "gotículas de flügge".

2. Transmissão indireta: transferência do agente etiológico por meio de veículos animados ou inanimados. A fim de que a transmissão indireta possa ocorrer, torna-se essencial que:

  • os agentes sejam capazes de sobreviver fora do organismo durante um certo tempo;

  • existam veículos que transportem os microrganismos ou parasitas de um lugar a outro.

Entende-se por veículo o ser animado ou inanimado que transporta um agente etiológico. Não são consideradas como veículos as secreções e excreções da fonte de infecção, que são, na realidade, um substrato no qual os microrganismos são eliminados.

Transmissão indireta por veículo animado (ou vetor) é aquela que se dá por meio de um artrópode que transfere um agente infeccioso do reservatório ou fonte de infecção para um hospedeiro suscetível.

Este artrópode pode comportar-se como:

  • vetor biológico: vetor no qual se passa, obrigatoriamente, uma fase do desenvolvimento de determinado agente etiológico; erradicando-se o vetor biológico, desaparece a doença que ele transmite. Os anofelíneos que transmitem a malária são exemplos desse tipo de vetor;

  • vetor mecânico: vetor acidental que constitui somente uma das modalidades da transmissão de um agente etiológico. Sua erradicação retira apenas um dos componentes da transmissão da doença. São exemplos as moscas, que podem transmitir agentes eliminados pelas fezes, à medida que os transportam em suas patas ou asas após pousarem em matéria fecal.

Transmissão indireta por veículo inanimado é aquela que se dá por meio de um ser inanimado que transporta um agente etiológico. Os veículos inanimados são:

  • água

  • ar

  • alimentos

  • solo

  • fômites

Vias de penetração
Entende-se por via de penetração o trajeto pelo qual o agente introduz-se no novo hospedeiro. A via de penetração oferece acesso a tecidos nos quais o agente pode multiplicar-se ou local onde a toxina, por ele produzida, pode agir. Freqüentemente, as vias de eliminação e de penetração são as mesmas. As vias mais importantes, como já salientamos, são:

  • trato respiratório

  • trato digestivo

  • trato urinário

  • pele, mucosas e secreções