O desafio da globalização
Mais recentemente, a progressiva abertura do país à competição internacional e a sua inserção no contexto econômico mundial vêm impondo novas pressões. A área da saúde se insere nesse novo panorama de três maneiras distintas: primeiro, ela própria se abre à competição internacional com a chegada de empresas multinacionais da saúde; segundo, a saúde (e seu oposto, a doença) representa um componente significativo e crescente do custo de produção de bens e serviços comerciais, influindo decisivamente na competitividade de cada país no cenário internacional; e, terceiro, a diminuição da capacidade de financiamento do setor público torna cada vez mais difícil manter o financiamento público de serviços de saúde sem mudanças profundas na organização, financiamento e gerenciamento do sistema de saúde.
Devido a essas razões, os serviços de saúde, tanto públicos quanto privados, também se vêem obrigados a melhorar sua eficiência, racionalizar o uso de recursos e controlar ou reduzir custos. Para o setor público, o desafio é simples e brutal: ou muda decisivamente e se torna mais eficiente, racional e confiável, ou corre o risco de se tornar progressivamente menos relevante, com implicações negativas claras sobre a eqüidade do sistema de saúde como um todo e principalmente sobre o acesso aos serviços por parte das populações mais pobres.

A gestão financeira no sistema público de saúde está experimentando nos últimos anos mudanças importantes, que devem se acelerar no futuro próximo. Dois fatores condicionam essa evolução: a descentralização do processo decisório e gerencial em direção ao nível operacional e a pressão no sentido da racionalização e "eficientização" do setor. Essa pressão decorre primeiro da crise econômica dos anos 80 e 90 e, mais recentemente, da abertura do Brasil ao processo de globalização e à competição internacional. As estratégias para superar essas crises tendem a modificar o sistema de saúde no sentido de dar-lhe maior flexibilidade de gestão e maior estabilidade financeira.