Armazenamento do material médico-hospitalar

O material deve ser mantido na embalagem original.
A estocagem deve ser por ordem alfabética de grupo de material, obedecendo a uma ordem alfabética rigorosa em cada grupo, da seguinte maneira:

Adesivos
Esparadrapo
Fita cirúrgica
Fitas de papel adesivo
Plásticos aderentes

Cânulas, drenos e tubos
Cânulas: endotraqueal
Guedell
Traqueal
Drenos: Kerr ou sonda T
Penrose
Tubos: aspiração
C.E.C. Oxigenadores

Coletores
Bolsa para colostomia
Coletor de urina infantil feminino
Coletor de urina infantil masculino
Coletor de urina - sistema aberto
Coletor de urina - sistema fechado

Dispositivos para infusão
Agulhas
Cateteres
Equipos
Scalps
Seringas

Fios cirúrgicos

Material têxtil
Algodão
Atadura
Campo operatório (cirúrgico)
Gaze
Gorro
Máscara
Sapatilha

Próteses e implantes

Sondas
Aspiração traqueal
Enteral
Foley
Hemostática
Nasogástrica
Oxigenoterapia
Retal
Uretral

As áreas de armazenamento devem ser identificadas de acordo com o grupo e os produtos, armazenados de maneira que permita a perfeita visualização do nome, número de lote e prazo de validade - aquele que for vencer primeiro deve estar à frente e do lado esquerdo.
As áreas que abrigarão os materiais precisam ter as seguintes características:

  • ausência de umidade e de calor ou frio excessivos (temperatura não superior a 25º C;

  • proteção contra animais e parasitas;

  • proteção contra incêndio;

  • boa circulação de ar;

  • disposição adequada para movimentação de pessoas e materiais;

  • área administrativa;

  • área para produtos que necessitam de temperatura controlada;

  • área para produtos inflamáveis.

Alguns materiais necessitam de controles estritos de temperatura.

  • Medicamentos termolábeis: trata-se de uma área reservada aos medicamentos que necessitam, para sua correta preservação, de local com temperatura média de aproximadamente 25° C, pois, quando armazenados em locais quentes e sem ventilação, estão sujeitos a ter suas características físico-químicas alteradas.
    É uma área opcional que deve ser construída somente quando o almoxarifado localizar-se em regiões quentes ou não possuir temperatura interna favorável, isto é, máxima de 28º C.
    Para tanto são necessários aparelhos condicionadores de ar, que permitem total controle da temperatura ambiente, e forro para diminuir a metragem cúbica da sala, favorecendo o funcionamento dos aparelhos. É importante também que se proceda a um rigoroso estudo da capacidade de refrigeração dos aparelhos em relação à cubagem da sala, bem como observar a necessidade de esquadrias que permitam uma ventilação natural quando houver cortes no fornecimento de energia elétrica.

  • Dimensionamento: deve estar relacionado diretamente à real necessidade de guarda à temperatura em torno de 25° C de certos medicamentos, levando-se também em conta que nem sempre é possível a manutenção de todos os produtos nesse local, razão pela qual a seleção precisa ser rigorosa, considerando ainda que o tipo de embalagem e a taxa de umidade da região influem na conservação dos medicamentos.

  • Imunobiológicos: nessa área ficam armazenados soros e vacinas, produtos que necessitam, para sua conservação, tanto de uma baixa temperatura de congelamento (-20° C) como, em outros casos, temperatura de resfriamento (+4º C a +8° C). Por esse motivo, é importante que o almoxarifado defina os equipamentos de frio de acordo com as necessidades locais, que, em almoxarifados centrais, são:

- câmara fria: utilizada para a conservação de vacinas a temperaturas de -20° C e entre +4° C e +8° C, com dois compartimentos distintos (com as temperaturas mencionadas) para conservação de acordo com a necessidade (podem-se usar como alternativa duas câmaras separadas com temperaturas diferentes). Nos locais onde existem câmaras do tipo Randon, torna-se necessário estabelecer no projeto os afastamentos mínimos da câmara das paredes adjacentes:

paredes laterais: 100 cm

parede de fundo: 200 cm

parede de frente: 150 cm

teto: 100 cm.

- freezer: substitui a câmara fria com temperatura a -20°C e pode ser usado também para a produção de gelo para as embalagens de transporte das vacinas.

- geladeira: assim como o freezer, a geladeira - do tipo comercial de quatro, seis ou oito portas, com ventilador interno - pode substituir a câmara fria com temperatura entre +4°C e +8°C.

O dimensionamento das câmaras e a quantidade de freezers ou geladeiras relacionam-se diretamente com a demanda de cada Estado. É preciso haver um projeto específico para todo o sistema, cuja elaboração deve contar com a orientação do Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), observando-se as determinações do Manual de Vacinação.
Relacionamos a seguir as vacinas com a temperatura ideal de armazenamento e o equipamento necessário.

VACINA TEMPERATURA IDEAL DE ARMAZENAMENTO EQUIPAMENTO
Antipólio oral
Anti-sarampo
Contra febre amarela
Antimeningocócica
-20º C
Câmara fria
ou
Freezer
Tríplice
Dupla
Toxóide tetânico
Anti-rábica humana
Contra febre tifóide
BCG
+4º C a +8º C
Câmara fria
ou
Refrigerador

Fonte: Manual de Vacinação do Ministério da Saúde.