icone facebookTwitterInstagram

Preocupada com a aproximação do vírus da febre amarela, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SUV/SES), emitiu uma nota de alerta reforçando o pedido para que as equipes regionais e municipais de saúde intensifiquem as ações de vigilância da doença e para que todos os moradores de Santa Catarina, com idade superior a 9 meses de idade, procurem um posto de saúde e tomem a vacina contra a febre amarela. Idosos com mais de 60 anos devem procurar orientação médica. 

Na última terça-feira (29), a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) confirmou o primeiro caso de febre amarela no estado. Um jovem, de 21 anos, que não havia tomado a vacina, contraiu a doença. Antes disso, o estado já havia notificado a morte de dois macacos pelo vírus da febre amarela. Os animais foram encontrados no município de Antonina, litoral do Paraná. De acordo com o gerente de zoonoses da DIVE/SC, João Fuck, isso quer dizer que o vírus está circulando no Paraná e pode chegar à Santa Catarina.

Desde o segundo semestre de 2018, após recomendação do Ministério da Saúde (MS), todo o estado de Santa Catarina tornou-se Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para febre amarela, antes 162 municípios já integravam a ACRV. Com essa ampliação, os moradores dos 295 municípios catarinenses precisam estar imunizados contra a doença. A gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, ressalta que basta apenas uma dose da vacina para se proteger da febre amarela durante toda a vida “A febre amarela pode matar e a vacina é a única forma de prevenção”, enfatiza.

Ampliação da vacinação

Para facilitar o acesso da população às doses, a ampliação da vacinação está ocorrendo de forma gradativa, em seis etapas. A ampliação começou em setembro de 2018, nos municípios do norte do estado, e agora chegou aos municípios da Grande Florianópolis. Nas cidades catarinenses em que a ação de ampliação estiver ocorrendo, a vacina contra a febre amarela será oferecida nas unidades de saúde. Nos demais municípios, a vacinação vai continuar ocorrendo nas unidades de referência.

A ampliação será encerrada no próximo mês, quando serão contemplados os municípios do Litoral Sul e Sul do Estado. Conforme Maria Teresa Agostini, diretora da DIVE/SC, mesmo após o término da ampliação, todos os 295 municípios catarinenses vão continuar oferecendo as doses contra a febre amarela nas unidades de saúde “O nosso pedido é para que a população se imunize o quanto antes”, conclui. Este ano, Santa Catarina já recebeu 500 mil doses. Portanto, não há falta de doses da vacina.