icone facebookTwitterInstagram

O Dia Nacional da Mamografia é celebrado hoje, 5 de fevereiro, para reforçar a importância do exame que identifica o câncer de mama. A doença afeta cerca de 59 mil mulheres por ano, mas é um tumor curável em até 98% dos casos se detectado na fase inicial.

A mamografia é um exame da mama feito em um aparelho chamado mamógrafo, com o objetivo de identificar alterações no tecido mamário.

Esse exame é capaz de identificar um tumor não palpável (normalmente menor do que um centímetro), assim como assimetrias e microcalcificações. Quanto menor o tumor ou a lesão maligna identificada, maiores são as chances de cura e diminuição da mortalidade.

A médica mastologista Ana Rosa de Oliveira, Chefe do Serviço de Mastologia da Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis, explica que se a recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia é que a mamografia de rastreamento seja realizada em pacientes assintomáticas após os 40 anos e este seguimento deve ser feito anualmente até os 69 anos. “Se a mulher apresenta sinais ou sintomas sugestivos de câncer de mama o exame pode ser feito em qualquer faixa etária, afirma.

A mamografia também é utilizada para guiar biópsias da mama, especialmente nas lesões que são apenas observadas por este método.

Caso a mamografia seja realizada no período pré-menstrual ela pode ser um pouco mais desconfortável, em função do edema(inchaço) das mamas, que acomete algumas mulheres.

A mamografia deve ser sempre realizada em duas incidências e mulheres com próteses de mama fazem outras incidências especiais.

Para o diagnóstico de câncer de mama geralmente a mamografia é complementada por biópsias, ultrassom das mamas e algumas vezes a ressonância magnética.

Apertar a mama durante o exame é fundamental, pois somente assim terá boa qualidade e permitirá enxergar as lesões bem no início. O desconforto é muito rápido e pode salvar vidas.

Acesso via SUS

A Lei nº11.664/08, determina que toda mulher entre 40 e 49 anos tenha acesso ao exame de mamografia para o rastreamento de câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desta forma, essa faixa passa a ter esse direito garantido.

A detecção precoce beneficia as mulheres com cirurgias menos mutilantes, aumenta as possibilidades de cura, reduz os custos finais do tratamento e mantém economicamente ativa uma faixa importante da população feminina.

Prevenção

A mamografia é um excelente método diagnóstico precoce do câncer da mama, especialmente na faixa etária dos 50 anos, mas a prevenção da doença depende muitas vezes da ação de cada mulher.

Cuidados com a manutenção do peso, principalmente na pós menopausa (obesidade é fator de risco para o aumento da incidência do câncer de mama); realização de atividade física regular; evitar consumo de fumo e álcool e principalmente amar a vida e seu corpo.

É importante a mulher ter conhecimento sobre suas mamas e as mudanças que acontecem nos vários períodos do ciclo menstrual. Ficar atenta à mudança de formato, saída de secreções e na hora do banho ou ao passar algum creme, prestar mais atenção no tecido mamário. A mulher que sempre se examina percebe mais rapidamente alguma alteração”, explica.

Em Santa Catarina, a Maternidade Carmela Dutra é referência em realização de mamografias: apenas em 2018 foram 4628 exames, mais de dois mil procedimentos a mais do que no ano anterior, quando a unidade da SES realizou 2507 exames.