icone facebookTwitterInstagram

O Hospital Regional Hans Dieter Schmidt (HRHDS), de Joinville, obteve reduções significativas nas taxas de Segurança do Paciente no ano de 2019. A unidade participa do projeto “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil” e é supervisionada pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS). O projeto atingiu números expressivos nos 119 hospitais participantes em todo o país. A estimativa é de que 4.066 infecções foram evitadas e 1.411 vidas foram salvas.

12 site uti.jpg

Foto: Assessoria HRHDS

Na instituição de Joinville, as taxas de Infecção no Trato Urinário Associado a Cateter Vesical de Demora (ITU_AC) tiveram uma baixa da mediana de 14,79 para 5,6 em 2018 e zero em 2019 (dados mensurados a cada 1000 dispositivos/dia). A incidência de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica (PAV) também teve queda de 46,52 (2018) para 22,43 (2019) para cada mil dispositivos/dia.

“As UTIs são ambientes onde os dispositivos invasivos são necessários para a manutenção da vida do paciente. Isso, porém, aumenta a chance de infecções. Nossos resultados foram alcançados graças à implantação dos protocolos de melhoria e atenção às boas práticas no uso dos dispositivos invasivos. Também são realizadas avaliações quanto à necessidade de manter os dispositivos diariamente. Essas avaliações são feitas pela nossa equipe multiprofissional extremamente dedicada, valiosa e capacitada”, comenta o diretor do HRHDS, Evandro Godoy.

O projeto “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil” faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), em parceria com os cinco hospitais de excelência do Brasil: Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e o Hospital Moinhos de Vento (RS).