icone facebookTwitterInstagram

Florianópolis, 31 de outubro de 2014.

Localizada no quarto andar do Hospital Governador Celso Ramos (HGCR) e gerenciada pelo Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon), a Unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO) completa 15 anos com 95% de êxito nas internações por transplante. A data será marcada por uma solenidade nesta sexta-feira, 31, na Associação dos Empregados da Eletrosul (Elase), no bairro Pantanal, em Florianópolis, a partir de 14h30m.

Inaugurada no dia 16 de dezembro de 1999, a Unidade de TMO presta assistência multidisciplinar a pacientes oncohematológicos. O primeiro transplante foi realizado em junho de 2000. De lá para cá, a unidade totalizou 684 transplantes autólogos, além dos atendimentos mensais com uma média de 24 pacientes internados. Para Maria Tereza Schoeller, diretora do Cepon, o serviço representa a transformação de um ideal em realidade. “Todo o trabalho da Unidade de TMO é desenvolvido de forma integrada e cooperativa entre o Hospital Celso Ramos, Cepon e Hemosc”, explica Maria Tereza.

Em uma década e meia de existência, a Unidade de TMO registrou um número mínimo de mortes. “Obtivemos muitos progressos, tanto no tratamento das leucemias, linfomas, mielomas, como na realização de transplantes de medula óssea, em que o paciente recebe sua própria medula, após tratamento com quimioterapia”, comemora a diretora do Cepon, Maria Tereza Schoeller. Atualmente, a equipe é composta por 15 médicos e 39 profissionais nas áreas de enfermagem, administração, nutrição, terapia nutricional, psicologia, serviço social e fisioterapia.

O evento de comemoração aos 15 anos da Unidade de TMO de Santa Catarina contará com a presença de pacientes, ex-pacientes, familiares, funcionários, autoridades do Cepon, Hemosc, Fahece, HGCR e Secretaria de Estado da Saúde (SES).