icone facebookTwitterInstagram

O Estado de Santa Catarina repassa equipamentos como ventiladores e adotou inúmeras ações para viabilizar a abertura de leitos de UTI no municío de Xanxerê. 
Entre as medidas que impactam diretamente na rede hospitalar local está a suspensão de metas de produção dos hospitais participantes da Política Hospitalar Catarinense. Com isso, o Hospital Regional São Paulo passa a contar com R$ 1 milhão de reais mensais, ou seja, a tabela cheia, sem a necessidade de cumprimento de meta, enquanto durar a pandemia. 

O HRSP recebeu equipamentos da SES para a abertura dos leitos. Foram enviados dez respiradores adquiridos junto à empresa WEG para Xanxerê no dia 06 de junho. Desde então, a SES aguarda a ativação dos leitos por parte da unidade e gestores locais.

Ressalte-se que ao Estado compete o fornecimento de equipamentos como respiradores e monitores multiparâmetros, além de ampliação de recursos, o que foi realizado através da Política Hospitalar Catarinense. Cabe ao gestor local a ativação do leito, incluindo RH necessário, para que o pedido de habilitação seja encaminhado ao Ministério da Saúde, que é quem formaliza tal habilitação. 

Com relação aos recursos e investimentos para combate à pandemia, o município de Xanxerê recebeu: 
R$ 145.387,63 referentes à Portaria 480
R$ 167.896,35  referente à Portaria 774
R$ 397.401,00 referente à MP 938
R$ 1.748.870,00 referente à MP 1666 
R$ 1.571.291,15 referente à Lei Complementar 174
Total: R$ 4.030.846,29

O Hospital Regional São Paulo recebeu para enfrentamento da pandemia Covid: 
R$ 705.071,00 referentes à Portaria 1.393 
R$ 3.219.464,99 referente à Portaria 1.448 
R$ 1.440.000,00 referente à Portaria 1045
R$ 1.440.000,00 referente à Portaria  1693
R$ 380 mil mensais referentes à Política Hospitalar Catarinense para combate à pandemia
Total para o HRSP: R$ 7.184.536,17

Total investido para o combate à pandemia é de 11.215.382,46

O município também recebeu 1640 testes rápidos e cerca de 3 mil itens de Equipamentos de Proteção Indivudual (EPIs) como gorros, máscaras, aventais, álcool gel, entre outros. Ressalta-se ainda a criação de rede de urgência de apoio com os hospitais vizinhos e APH móvel para dar suporte ao município de Xanxerê. 

Há mais de  30 dias a SES vem atuando atuando junto ao MS, CONASS e OPAS para realizar as aquisições de medicamentos necessários. Como forma de contingenciar o estoque,  no dia 23 de junho a SES ainda suspendeu a realização de cirurgias eletivas que necessitem de anestesia geral. 

Vale ressaltar que os hospitais filantrópicos e os geridos por OS tem recursos e a responsabilidade de aquisição destes medicamentos e contratação de pessoal e equipes multiprofissionais para a abertura desses leitos.

O Governo do Estado atua com avaliação e projeção de cenários do novo coronavírus de forma constante. Há 120 dias, os profissionais lotados no Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) atuam no planejamento e execuções de ações, acompanhando a evolução do número de casos, ocupação de leitos ambulatoriais e de UTI em Santa Catarina.
O Governo de Santa Catarina já criou 570 novos leitos de UTI em hospitais públicos e filantrópicos desde o início da pandemia do novo coronavírus – o que representa 70% a mais da capacidade hospitalar pré-existente no estado. 

Além disso, vem executando ações no sentido de ampliar a oferta no atendimento, incluindo a região de Itajaí citada pela reportagem. O Governo do Estado derrubou as matrizes de avaliação da nova Política Hospitalar Catarinense para possibilitar que todos os hospitais inseridos recebessem o valor total durante o combate à Covid.