icone facebookTwitterInstagram

Em outubro deste ano, o serviço de Telemedicina do Estado de Santa Catarina atingiu a marca de 10 milhões de exames realizados abrangendo várias especialidades como ECG, dermatologia, espirometria, RX, Ressonância magnética, mamografia, tomografia, Ultrassonografia. Implantado em 2005, o projeto é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde - SES/SC e a Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Em 2011, o estado havia realizado 1 milhão de exames.

Trata-se de uma estratégia para disponibilizar exames à distância com oferta de laudos por especialistas, por meio de Programa Estadual denominado Rede Catarinense de Telemedicina RCTM. Atualmente, a Telemedicina está estruturada na Gerência de Regulação Ambulatorial da Superintendência de Serviços Especializados e Regulação (GERAM/SUR).

Os exames são realizados através da plataforma do Sistema Catarinense Integrado de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC) e estão disponíveis para todos os municípios do Estado. Profissionais de saúde e usuários do SUS têm acesso a exames de forma segura, mais rápida e sem precisar de deslocamentos para outras cidades ou regiões. Outra vantagem da telemedicina incluem a otimização do tempo e a redução de custos operacionais, como compra de papel, impressão de laudos e despesas logísticas além do impacto ambiental positivo decorrente pela redução da impressão de filmes.

Hoje, o STT/SC agrega diversos serviços e ferramentas que podem ser usadas em unidades básicas de saúde até hospitais de alta complexidade. Telediagnóstico, teleconsulta, teleconsultoria e educação permanente em saúde são alguns serviços disponíveis e em uso no estado.

Em 2016, o serviço de telemedicina no Estado, foi aprovado em deliberação da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).