icone facebookTwitterInstagram

A exemplo de outros estados, nas últimas semanas, Santa Catarina vem passando por um aumento na taxa de transmissão do Coronavírus. O percentual de resultados positivos dos exames RT-qPCR para SARS-CoV-2 realizados pelo LACEN/SC aumentou de 21,5% na primeira semana de novembro para 40% nesta última semana.

coronavírus


Nos últimos 14 dias, os indicadores epidemiológicos da Covid-19 vêm apresentando uma tendência de crescimento no número de casos ativos, passando de 2.842 para 10.121. Já em relação aos casos graves, neste mesmo período observou-se um aumento no número de internações hospitalares, passando de 88 para 188. As internações referem-se principalmente a pacientes mais idosos e/ou com comorbidades ou imunodeprimidos, mais vulneráveis a descompensações e complicações relacionadas à infecção pelo Sars-Cov-2, e que ainda apresentam esquema vacinal incompleto, com doses de reforço em atraso.

No período de 01 a 23 de novembro de 2022, um total de 210 pessoas foram hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Covid-19 em Santa Catarina, sendo 15 (7%) menores de 12 anos, 11 (5%) entre 12 e 30 anos, 38 (18%) entre 30 a 59 anos e 146 (70%) de idosos, a partir dos 60 anos de idade.

Deste total, 157 pessoas (75%) apresentam pelo menos um fator de risco para agravamento (doença cardíaca, hematológica, hepática, neurológica, renal ou pulmonar crônica, asma, diabetes, imunodepressão, obesidade ou neoplasias).

Das 36 pessoas que necessitaram de atendimento em leitos de UTI, 30 (83%) estavam com esquema vacinal em atraso, e apenas seis (17%) estavam com o esquema completo, incluindo a 2a dose de reforço. Todas tinham idade acima de 60 anos.

Já em relação à mortalidade, foram registrados 25 óbitos por Covid-19 em Santa Catarina na última quinzena analisada. Destes, apenas quatro (16%) estavam com o esquema vacinal completo, incluindo a dose de reforço, e 23 (92%) tinham idade acima de 60 anos. Todos tinham pelo menos um fator de risco associado, como doença cardíaca, renal, pulmonar crônica, diabetes ou imunossupressão.

Frente à situação epidemiológica atual, a Secretaria de Estado da Saúde orienta a todos seguirem as seguintes recomendações:

- Reforçar com maior ênfase a necessidade de que todos os indivíduos com idade superior a 12 anos recebam a primeira dose de reforço, e os com idade superior a 30 anos que recebam a segunda dose de reforço das vacinas contra Covid-19. Ainda existem aproximadamente 3 milhões de catarinenses acima dos 12 anos de idade que não tomaram a 1a dose de reforço e 1,6 milhão sem a 2a dose de reforço.

- Reforçar a necessidade de se aumentar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes menores de 17 anos. Observa-se um aumento de internações nesses grupos populacionais e a vacinação é necessária e segura para proteger nossas crianças e adolescentes. Desde o início da pandemia já foram registrados 91 óbitos de crianças e adolescentes por Covid-19, sendo 33 adolescentes de 12 a 17 anos e 58 crianças menores de 11 anos.

- Reiterar a recomendação do uso de máscaras em situações de maior risco de transmissão do vírus, em especial no transporte público e em locais fechados, além de reforçar a extrema importância do uso de máscaras em todos os serviços de saúde, incluindo farmácias, onde há maior probabilidade de pessoas sintomáticas procurarem testagem e medicamentos sintomáticos para quadros gripais.

- Recomendar fortemente o uso de máscaras e o reforço das medidas de prevenção, incluindo a testagem dos visitantes, trabalhadores e residentes de instituições de longa permanência de idosos (asilos).

- Recomendar fortemente o uso de máscaras para os grupos populacionais mais vulneráveis, incluindo os mais idosos e pessoas com comorbidades e demais condições de risco para agravamento da Covid-19, além de pessoas que apresentem sintomas gripais.

- Recomendar o reforço nas medidas de prevenção, incluindo a lavagem frequente das mãos com álcool gel ou água e sabão e a manutenção de ambientes ventilados, com circulação de ar.

- Reforçar a importância de todas as pessoas que apresentem sintomas gripais que procurem um serviço de saúde para testagem e tratamento adequado.

A velocidade do aumento no número de casos e de internações por Covid-19 está sendo acompanhada por meio de indicadores analisados permanentemente para atender à demanda caso o sistema de saúde público seja pressionado.