icone facebookTwitterInstagram

Xanxerê, 23 de outubro de 2015

“Um momento especial” - é dessa forma que o paciente Edinei Vissotto, internado há mais de 15 dias no Hospital Regional São Paulo, de Xanxerê, definiu a cinoterapia, uma abordagem terapêutica realizada com o auxílio de cães, que é desenvolvida por meio de uma parceria entre o Corpo de Bombeiros Militar de Xanxerê e a unidade de saúde. “Nesse momento esquecemos um pouco a doença que estamos passando e nos distraimos com a presença dócil do cão”, relatou o paciente.

Desde a implantação, em março deste ano, o projeto atendeu mais de 760 pacientes. Uma vez por semana eles têm contato e interação com os cães do Corpo de Bombeiros. “Tenho uma fêmea filhote de labrador em casa, a Dora, e há mais de 20 dias não a vejo. Com a visita da Ursa, a labradora dos bombeiros, pude me distrair e matar um pouco a saudade da Dora, que ficou em casa, em Palma Sola. A iniciativa do hospital é muito boa, pois a gente passa momentos felizes quando o cão. Eu simplesmente adorei”, completou Edinei.

A namorada de rapaz, Dienifer Barp, que o acompanha durante o período de internação, destacou que a visita foi extremamente agradável e que deixou ambos mais felizes. “Adoramos receber a visita da labradora Ursa, foi um momento descontraído e feliz, onde podemos sair um pouco do foco de estarmos aqui há mais de duas semanas e ainda da angústia da espera”, observa.

Além dos benefícios físicos, sociais e mentais, a psicóloga do hospital, Adrieze Jamile da Rosa, destaca que a visita do cão torna o paciente mais receptivo ao tratamento e motivado a participar da recuperação. “Quando o cão entra no quarto, o ambiente todo muda e nós conseguimos reforçar a autoestima e a segurança emocional das pessoas. Percebemos isso quando elas falam dos seus próprios animais de estimação e trazem à tona memórias passadas, quebrando a barreira do estresse, muito presente no ambiente hospitalar”, pontua a psicóloga.

Altair Busetti, morador de Ponte Serrada, que acompanhada a internação de seu pai, pontuou que “ter um animal de estimação é muito gratificante, são nossos companheiros. Já quando estamos por um longo tempo acompanhando um familiar internado, como no meu caso, receber a visita da labradora aqui no hospital, foi emocionante. O Hospital está de parabéns, pois pensa com carinho nas pessoas que estão angustiadas aqui dentro. A visita foi um momento alegre”.

A médica Vanusa Mariano Hagel destaca que a terapia auxilia na recuperação e que a visita só traz benefícios ao paciente. “A visita de um cão saudável, vacinado, vermifugado e de comportamento dócil como a Ursa, jamais causará danos à saúde do paciente. Os únicos obstáculos seriam em casos particulares de alergias ao pêlo do animal ou a fobia de cães, ou, simplesmente, porque o indivíduo não gosta de ter contato com animais, e isto, deve ser respeitado. Ver o sorriso dos adultos e das crianças com a chegada do cão é gratificante pois, de alguma forma, alivia o sofrimento causado pela enfermidade. Se eu estivesse internada, sem dúvida alguma, esperaria ansiosamente pela visita”, finalizou a médica.

alt

alt

Informações adicionais

Meriana C. Peri – Jornalista

Assessoria de Comunicação

Hospital Regional São Paulo – Xanxerê